in

Por Uma Felicidade Desobrigada

Imagem: Reprodução

Por Joana Moura

Não tenho a menor dúvida, creio e proclamo que devemos buscar felicidade em cada segundo, por cada simples motivo  e em todas as fases das nossas vidas! Acredito que a maioria de vocês não irá discordar de mim nesse aspecto, estou certa? Contudo, um fato importante a ser pontuado é que o ser feliz, não significa a ausência total de tristeza.

Vivemos em uma eterna e sufocante condição de deveres e obrigações, sendo até a alegria nos imposta como uma cobrança diária. Mas será que entristecer não é da vida? Dias ruins não chegarão? Problemas não aparecerão? E até os famigerados hormônios, não aperreiam mensalmente muitas de nós? E como nos comportaremos diante desses fatos que, cedo ou tarde, nos pegarão de surpresa. Surpresa, sim! Porque preparado para sofrer, ninguém está!

Há muito tempo atrás li um texto que era do início ao fim, fantástico. Nessa época,  guardei-o em uma pasta daquelas que usávamos para colecionar papéis de carta junto com cada emaranhado de palavras que achava interessante. Lembro bem que uma das melhores e mais certas frases escritas era: “mas a tristeza só há de passar entristecendo-se”. Essa, fiz questão de grifar. Dia desses, naquelas manhãs inspiradas de domingo que escolho para arrumar meu quarto, encontrei a pasta e perdi deliciosos minutos lendo os meus guardados. Lá estava o texto, lá estava a parte grifada.

Perdi mais alguns minutos repensando a questão, não porque gostaria de entendê-la, mas porque percebi que nos cobrávamos tanto uma felicidade eterna e constante tão quanto ilusória, que esquecemos que os finais das histórias nem sempre são felizes, que os lutos precisam ser vividos e que uma dor só passa depois de devidamente doída, devidamente chorada.

Por favor, não me interpretem mal, esta não é uma apologia ao sofrimento, mas sim uma percepção real e racional dos processos da existência humana para evolução. E mais, é uma tentativa de mostrar que precisamos ser mais gentis e fáceis com nós mesmas, precisamos nos permitir um dia mais sensível, mais triste, mais quieto e mais sofrido e isso não se trata de se tornar alguém deprimido. Depressão é doença, tristeza é da vida.

Atire a primeira pedra quem nunca se rendeu ao rivortril e a gama de ansiolíticos que a indústria farmacêutica nos oferta, não porque sofremos com a ansiedade, mas porque não nos permitimos, um dia sequer, ter o coração apertado. Não estou nos colocando na situação de culpadas, mas é que o mundo das “famílias felizes do comercial da margarina” nos é vendido e cobrado e acabamos nos tornando reféns de um conto de fadas que não se aplica na vida real.

Em face a esta situação convido-as:  vamos seguir com um sorriso no rosto e peito disposto a ser feliz, vamos nos fortalecendo a cada tropeço, vamos nos reerguendo ainda mais fortes a cada baque, vamos nos permitir chorar até dormir para acordar com a força redobrada. A tristeza é como um peso, depois que você consegue suportá-lo, fica mais forte para o próximo que virá. Sofra, mas não se renda. Chore, mas não desista de sorrir. Desanime, mas não perca o brilho. Esta que vos escreve, sofre, chora, entristece e é MUITO FELIZ!

 

 

 

 

Joana Moura,

Jornalista e Estudante de Educação Física.

 

12 Comments

Leave a Reply
  1. Muito bom!!!
    Show de bola ju!!!
    É isso ai!!
    Maravilhoso!!
    E como dizia o poetinha:

    “Mas pra fazer um samba com beleza
    É preciso um bocado de tristeza
    É preciso um bocado de tristeza
    Senão, não se faz um samba não”

    … “Porque o samba é a tristeza que balança
    E a tristeza tem sempre uma esperança
    A tristeza tem sempre uma esperança
    De um dia não ser mais triste não”

    Beijosss!!
    Sou teu fã!

  2. Eu também fiquei sem palavras, mas me vi nesse texto,em vários momentos da minha minha vida,poi é! Joana me fez olhar para um grande espelho a minha frente…

  3. Texto digno de uma palestra para muita gente que ainda se inquieta buscando a felicidade plena! Parabéns, Ju! Nunca esqueço de uma frase que me foi dita pela espiritualidade: “A real felicidade só a sentirá o espírito perfeito, por enquanto, transitamos pelos arredores da felicidade e será que já a merecemos? se habitamos um mundo onde a miserabilidade se faz presente, onde dores grandiosas físicas e morais fazem cair lágrimas de grande sofrimento” De fato, as dores, dúvidas e tristezas existem e precisam ser vivenciadas, precisamos atribuir significados a elas para que possamos superá-las! Amo vc, certeza de que esse texto fez muita gente refletir!

  4. Maravilhoso!!É importante a reflexão e aplicação todos os dias de nossas vidas, pois a felicidade plena é utópica e a vida ficaria sem graça.Estamos sempre em busca da felicidade e da paz de espirito.Sou feliz porque te amo!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sonho da casa própria fica mais caro para brasileiros

Conheça as causas e os tratamentos de acne indicados para mulheres