in ,

Meu namorado é diferente!

Por Joana Moura

Meu namorado é diferente. Escolhi esse título justamente pra ter por onde começar o texto, e começo desconstruindo essa frase. Mas quem não é diferente? Até gêmeos idênticos são diferentes, não é mesmo? Pois bem, essa é a matriz fundamental do meu raciocínio: somos todos iguais porque somos todos diferentes.

Meu conceito particular à parte, aprendemos com a sociedade que se apresenta, que fulano é gordo, beltrano é crente, sicrano é preto. Classificamos as pessoas de acordo com as suas características sejam elas natas ou adquiridas, e assim fazemos diferenciações e segregamos. Nessa ótica, meu namorado é deficiente físico.

Nos conhecemos quando ele participava de um treinamento da seleção brasileira de basquete em cadeira de rodas e eu acompanhava, à trabalho, a equipe. Entre histórias e histórias resolvemos ficar juntos e o amor cresce um pouquinho todo dia.

Deixando o romantismo de mulher apaixonada de lado, escrevo para desmistificar o relacionamento com pessoas deficientes. Para começar, declaro que déficit maior é o da alma e em seguida atesto que podemos fazer tudo o que quisermos, enquanto casal, com as devidas adaptações, claro. Uma trilha na Chapada Diamantina pode não ser a lua-de-mel mais adequada, mas se a gente quiser, será do nosso jeito.

Joana e o namorado, Wandemberg Nejaim

Na prática, namorar um menino que tem mobilidade reduzida e se utiliza de aparelhos ou de cadeira de rodas para caminhar é diferente, desafiador, inusitado e divertido. Nossas histórias de idas à praia, rendem um capítulo divertidíssimo nessa história. Já as dificuldades para transitar nas cidades e dos direitos dos deficientes serem assegurados, é a parte do livro em que se protesta.

Não escapo dos olhares dos estranhos, da admiração dos românticos e da curiosidade dos que se aproximam. Não nego que é peculiar, mas tenho certeza que todos os relacionamentos acabam sendo, os que não são devem ser chatos. Garanto, como toda a certeza do mundo que a beleza é um fenômeno de dentro pra fora.

Estou longe de ser a namorada que enxerga as pernas finas e atrofiadas do amado devido à paralisia infantil, bonitas como as de um jogador de futebol. Não, não são, e ele também sabe que eu não acho. Mas enxergo a beleza de pernas que ficaram de pé a primeira vez aos seis anos de idade, que sofreram anos com as sessões de fisioterapia diárias e fizeram adaptações incríveis para se por verticalmente. Aí sim, elas são as mais lindas. Também não sonho naquela entrada clássica na noite de núpcias com ele me carregando no colo, mas não me oponho a carregá-lo pra minha vida para sempre.

Somos normais. Fazemos TUDO que todo casal faz e somos sábios. Damos risadas das dificuldades, brincamos com o que para muitos é constrangedor e buscamos solução para o não. Somos felizes.

Trazendo a realidade para as palavras, quantas mulheres iriam se opor a ter um relacionamento com um deficiente físico, exclusivamente pela sua condição. Quantas deixariam de conhecer pessoas maravilhosas como o meu namorado por preconceito. Sei que no sonho o príncipe não chega de cadeira de rodas, mas porque não?

O meu príncipe me ensina todos os dias que somos muito mais alma do que corpo, que podemos tudo o que a nossa coragem e força de vontade permitirem, que nesse mundo precisa ter espaço para todos, que o amor é um encontro de espíritos e não de corpos e que deficiência mesmo é a moral… a da falta de caráter e de honestidade. Foi esse príncipe que me mostrou que muito mais do que pernas para correr, precisamos de corações humanos para poder voar.

 

 

 

 

 

Joana Moura

Jornalista e Estudante de Educação Física.

33 Comments

Leave a Reply
  1. Joana, o texto só é belo porque é bela a maneira como vocês dois vivem esse amor,brincando com as dificuldades e sendo criativos para superá-las. Que sejam muito felizes e tenho muito orgulho do seu jeito de encarar o mundo. Parabéns!

  2. Belo texto, e bela experiência de vida!! É verdade, o problema da sociedade e moral, poucas pessoas enxergam as coisas de dentro para fora. E os valores estão mais do que nunca, invertidos. E sempre o ter, e não o ser. Esse seu texto é tão legal, que dar esperança de que esse mundo ainda pode ter jeito. Desejo de coracão, muitas felicidades ao casal!

  3. Texto que coloca em evidência a necessidade de revermos valores na nossa sociedade. Perfeita a crônica, e incrível a realidade vivenciada por esse casal! Exemplo para todos !

  4. Como pessoa com deficiência admito os diversos olhares, não sendo motivo para abater-se pois convivendo de cabeça erguida conseguimos ser visto com deve ser “PESSOA”. Somos todos diferentes o dever ser é o respeito.

  5. eu amei oq vc falou, o amor tem que estar acima de tudo, um dia tive um amor igual ao quer vc passarr pro seu namorado, mas por minha culpa esse encanto se quebrrou

  6. Joana, não precisa conhecer vocês pra se admirar com sua escrita e com essa realidade tão linda… Mas, sei bem do que quer dizer. Conheci o Berg quando veio a Goiás num campeonato e ficamos amigos. Quase não temos contato, lamentavelmente, mas a cada vez que um reaparecia na vida do outro, pela internet, ou por telefone, nascia de novo aquele carinho de irmãos que moram longe, mas que sabem que o outro está mais perto. Eu o chamava de “Aleijado do coração” e o preconceito das pessoas achava extremamente ofensivo, mas pra nós não era, porque sempre soubemos o quanto a deficiência física é ínfima diante do caráter e força de vontade desse cara… Aliás é uma injustiça chamar o Berg ou os caras do Águias, entre tantos outros, de “deficientes”. Eles são mais que eficientes! E ver o seu texto me deixou muito feliz. Por entender sua alma e de modo muito especial, por saber que meu irmão pernambucano está com a pessoa certa. Felicidades pra você e seu príncipe. Deus os abençoe. Abraço fraterno da irmã goiana.

  7. Me ajudou bastante a enfrentar o olhar das pessoas ao me verem com um rapaz que teve paralisia infantil ainda bebê e que ficou com sequelas nas duas pernas. Obrigada!

  8. OLHA, EU NAMORO HA DEZ ANOS E HA UM ANO E MEIO MEU NAMORADO, POR SINAL TAMBEM SO O CHAMO DE PRINCIPE RS, FICOU PARAPLEGIGO, ELE TEM 30 A EU 29 ANOS, O AMO DEMAIS, NAO LARGO MESMO, É DIFICIL SIM, MAS TENHO CERTEZA QUE SEREMOS MUITO FELIZ. SE EU FOR CONTAR MINHA HISTORIA COM ELE DE UM ANO E MEIO PRA CA, NAO TEREI CARACTERES O SUFICIENTE RSRSRS, MAS É ISSO AI, CADA DIA UMA ESPERANÇA NOVA E UM AMOR MAIOR. TE AMO PRINCIPE.

  9. Sem comentarios uma historia emocionante, fantastica,maravilhosa,acima de tudo encorajedora pois eu tambem sou amputado e acredito que existem mulheres que nao olham o fisico mas a alma onde existe a essencia do sere humano..

  10. Parabéns. Me ajudou muito. Tô começando um relacionamento assim com um amigo de infancia que também teve paralisia infantil. Nos reencontramos depois de 25 anos. Admitimos que sempre fomos apaixonados desde a adolescencia. E estamos começando uma historia. Com medo, mas juntos.

  11. Linda a historia de vcs parabéns, sei oq vc sente a 3 meses comecei um relacionamento ele fikou paralico apos um acidente eramos amigos e depois de 4 anos nos encontramos mais agora de uma forma diferente onde surgiu um amor e um carinho enorme em nossos coração um pelo outro é um sentimento forte algo inesplicavel que jamais havia sentido antes,
    Nos damos muito bem ele me completa e a cada dia é um novo aprendizado um com o outro e o mais bacana que alem de namorados existe companheirismo, amizade, e cumplicidade eu amo meu príncipe ele me transborda de felicidade
    E nossa historia só esta comecando e nao é acaso e sim obra de Deus o melhor presente que o senhor me deu.

  12. Nossa, admiro sua coragem eu estou passando por uma situação bem parecida conheci um rapaz e ele é deficiente físico ele é uma pessoa muito fácil d se apaixonar,mas eu tenho muito medo não por mim mas sim pelos meus parentes pois tenho certeza que eles vão se opor, gostaria de ter essa coragem pra não ligar pra opinião das pessoas mas isso me dói muito,deixarei o tempo passar e mostrar se esse amor vai superar meu medo que Deus nos ajude e que sejamos felizes juntos.

  13. Linda história, de uns dias pra cá ando procurando histórias como essa pra me entregar de corpo e alma a um relacionamento com um homem com deficiência física. Ele é uma pessoa maravilhosa rimos muito de muitas coisas e eu me pego as vezes pensando no que os outros falariam ou na rejeição que mtos teriam.Mais isso pouco me importa o que realmente importa é nós dois. Histórias como essa acima me deixa cada vez mais feliz feliz e feliz…Agradeço a Deus por ter colocado ele na minha vida. Parabéns

  14. Sem palavras se antes eu já acreditava no amor, agora mais do que nunca .Tenho a absoluta certeza de que o amor tudo sofre tudo suporta tudo crê ! que realmente quando dois corações se completam o que importa é o amor estou passando por algo parecido e sei que se eu deixar o amor falar mais alto terei um final feliz felicidades amei sua historia emocionante!

  15. Lindo tb passo por isso com meu namorado mas ele e lindo como e e ele da de 10 a zero em muito mane por ai o romantismo e o carinho dele e um verdadeiro conto de fadas ja nem ligo mais para chacotas e olhares preconceituosos e ai de quem magoar o meu baixinho kkk!

  16. Olá pessoas, estou em busca de boas amizades, troca de experiências e quem sabe até mesmo um amor. Sou carioca, tenho 47 anos, deficiente mas sou bem independente, pois trabalho e estudo. Havendo interesse é só me contactar pelo e-mail: phillipeleal@bol.com.br.
    No mínimo será uma boa amizade.

  17. Linda história! É realmente muito bom saber q tem pessoas assim no mundo, q reconhece os verdadeiros valores da vida. Desejo felicidades a vocês!! Eu sou cadeirante e espero, um dia, encontrar um amor assim!

  18. Linda história parabéns, meu namorado também é diferente mas a cada dia meu amor por ele é maior, no começo ele resistiu mas depois ele se deixou conquistar, ele tem paralisia cerebral, mas isso não nos atrapalha em nada. Bjsss

  19. Muito legal! Com certeza ele teve sorte de encontrar uma mulher especial para amá-lo e aceitá-lo da forma como ele é. Eu também sou portador se necessidades especiais, mas, infelizmente, ainda não tive essa benção em minha vida. E pra falar a verdade já estou perdendo as esperanças. Mas como diz o velho ditado: a esperança é a última que morre. Parabéns ao casal!

  20. Tenho 23 anos, sou deficiente físico com paralesia facial desde de criança, que deixou seqüela em minha boca e em meus olhos, sempre gostei das meninas mas sempre tenho medo de levar o ñ por causa da minha limitação nunca perço para ficar com elas, infelizmente ainda existe mulheres que se relacionam pela estética física, mas acho que meu caracter minha sinceridade meu amor e maior que minhas deficiências. Atualmente estou investindo em uma garota mas ela não quer seder acho que tem esse medo que você descreveu não posso fazer nada só digo e afirmo que nunca vou desistir de encontrar meu verdadeiro amor.
    Obrigado gostei muito e admirio sua coragem e seu amor S2

  21. Estou apaixonada por um rapaz com deficiência física, ele tem problema na mão e na perna direita, acredito que foi paralisia… Nunca falamos sobre, conheci ele pela internet, não sabia que ele possuía uma deficiência, até que marcamos o primeiro encontro, logo que vi ele, aquele sorriso, me encantei, até que começamos a caminhar e percebi que existia algo de diferente, mas não dei importância! Até que sentamos, conversamos e nos beijamos… Foi muito bom! Até que marcamos o segundo encontro, estava mais calma, sem aquela insegurança do primeiro encontro, foi que eu percebi, que ele realmente tinha uma deficiência, além do andar, na mão tbm e que ele escondia com a jaqueta, quando vi, foi um choque pelo fato de ele querer esconder, o que pra mim, era bobagem( por um lado eu tbm entendi o lado dele) , porém no decorrer do jantar , ouve uma situação, que eu perguntei se queria ajuda, e ele foi ríspido comigo, dizendo que não! Me senti mal, mas não perguntei por pena, mas sim pq de fato queria ajudar… Enfim… Eu gosto dele de verdade, acho ele lindo, inteligente, carinhoso e um beijo incrível… Já saímos quatro vezes, mas sinto ele distante…as vezes, tem horas que acho que ele está afim de mim, as vezes parece que quer me evitar, ele diz que sou linda e inteligente e que tem um monte de cara afim de mim. Não sei como faço para conquista-lo , mando msg todos os dias demonstrando meu interesse, ele sempre me responde, mas bem normal… Aí eu não sei… Se eu desisto ou insisto… Eu as vezes acredito que ele tem interesse por mim… Mas que se sente inseguro… Em outros momentos acho que ele só quer me usar… Apesar que não fizemos amor ainda… Duas vezes qse rolou… Mas na hora H, não rolou… Por parte dele… Acho que não se sente a vontade em ficar nú na minha frente ou não quer ficar comigo mesmo… Não sei o que fazer… Me ajudem…

    • Kamila, ficamos honrados com seu interesse de dividir conosco esse momento tão novo e ao mesmo tempo tão delicado. Cada história é uma história diferente, mas se tem um conselho que serve para todas é a sinceridade. Se você se sente tão amadurecida a ponto de encarar uma relação mais séria, de arriscar, de enfrentar as dificuldades dela, de mergulhar na intimidade do outro, é porque está também amadurecida para ser uma mulher franca, direta e transparente. Nós costumamos confundir sinceridade com “colocar o outro contra a parede”. Mas isso não é verdade. Com o tempo, percebemos que ser aberto e verdadeiro é um caminho fácil e muito mais seguro que qualquer outro. Abra seu coração, diga que respeita o tempo dele e também suas decisões, mas que precisa jogar limpo, para não criar expectativas falsas. Precisa saber como ele tem visto e o que tem esperado da história de vocês. Diga que gosta dele e que não se vê com outra pessoa momento. Talvez ele só esteja precisando de uma injeção de autoestima, talvez ele realmente esteja sendo escorregadio por ainda não saber o que quer, mas ambas as respostas você só vai descobrir através de uma conversa clara e aberta. Como podemos desejar que o outro seja honesto conosco se não somos com ele? Está aí uma coisa que a maturidade nos ensina: joguinhos amorosos só são divertidos quando os dois sabem as regras e quando o que está sendo apostado não é o sentimento de ninguém. Para além disso, não passa de uma tentativa de tatear no escuro, daquelas em que alguém sempre sai machucado. Beijos e boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chaplin (1940): o profeta satírico da barbárie

Sociedade: um lugar para todos