in , ,

#homofobiaédoença



Hoje eu não fui trabalhar porque acordei sentindo uma coceirinha meio gay na garganta. Ontem, foi uma sapatice nos dentes.
Não consegui terminar minha monografia porque deu uma dor de gay nas mãos.
Não vou a festas desde 1994 porque sofro de síndrome gay de pânico.
Eu tenho amigos mas não consigo encontra-los porque apresento sinais de gaypressão.
Gosto de fazer esportes, mas nunca faço. Eu tenho um problema de gay nos tendões.
Tenho problema nos pulmões, mas nunca fumei cigarro. Minha doença é um defeito gay de malformação.
Eu enxergo mal porque fui diagnosticado com pressão ocular homossexual.
Tenho má digestão porque pego homem e mulher no carnaval.
Tenho frieira desde que me assumi lésbica.
Tenho fraqueza na cabeça e tontura nas pernas.

Preciso de um psicólogo, não pra entender de onde vem meu mau caratismo. Não pra saber  porque motivo não pratico altruísmo. Não pra me ajudar a superar o medo. Não pra ouvir e humanizar meus segredos. Preciso de um psicólogo pra me curar da sexualidade, da natureza, da alma e do coração.

Preciso de um juiz para autorizar meu tratamento de desviadação. Preciso de auxílio. Não quando sou espancado na rua, de mãos dadas com um amigo. Não quando sou ofendido no congresso por um político. Não quando me olham torto, me lançam piadas ou me negam emprego. Não quando me julgam, me estereotipam e me mostram desprezo. Preciso de apoio pra ser gente. Ainda que meu tratador esteja muito mais doente.

#homofobiaédoença

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você cria expectativas… Vem a vida e te ‘’Ladygaga’’

Bolsa concede 8 mil libras para mulheres fotógrafas